Encontro

Há tanto que eu poderia te dizer, mas eu não sei como. Se me calo é porque não existem palavras e o tempo não permanece, ele muda. Ele muda tudo. Eu já fui você e você será eu, não houve como esquivar-se. As coisas são como são, assim, sem explicação.


Hoje eu tenho a força que tu não tinha e você é a lembrança da doçura que se esvaiu de mim. É sempre assim, algumas coisas são levadas enquanto outras são trazidas, pelas mesmas ondas, hora calmas, hora turbulentas.

Se eu pudesse te dizer, te diria que com o tempo iria melhorar, mas a verdade é que só muda, às vezes ainda é preciso bater em rochas para poder passar. Mas se estou aqui é porque você chegou e trouxe seu mundo consigo.

Eu estava te esperando e você a mim, mas eu não sou quem você pensava que seria. Essa é outra lição que você precisou aprender, as correntes mudam e com elas os planos saem da rota, como o tempo, nada permanece o mesmo, é preciso reajustar o curso.

Mas você está bem e eu também. Nosso encontro sutil passou e continua se passando, indo e vindo, em ondas, conforme a lembrança, conforme o acaso. Hoje nos tornamos outro alguém, como em todos os anos, continuando, navegando, vivendo...



Leia também: Nosso primeiro adeus

Comentários